Translate

domingo, 15 de fevereiro de 2015

Crustáceo do Rock - Cirolana mercuryi Bruce, 2004

Quem nunca ouviu falar da banda de Rock Queen e do lendário Freddie Mercury?! O Rock é um gênero musical que fala de várias histórias e sentimentos, especialmente sobre amor. Uma espécie de crustáceo de Zanzibar reúne tudo isso em um só nome: Cirolana mercuryi Bruce, 2004.

Cirolana mercuryi Bruce, 2004 (Isopoda: Cirolanidae)

Etimologia:

Cirolana = anagrama referente ao nome Carolina, uma desconhecida relacionada ao descritor do gênero, William E. Leach.
mercury = entrar.
-i = radical indicativo de que o epíteto é homenageia uma pessoa do sexo masculino.

-

Cirolana mercuryi. Fonte: Bruce (2004).
A origem do nome do gênero Cirolana é envolta em grande mistério. Ao contrário do que muitos pensam, o nome não possui etimologia em uma língua antiga, mas sim é um anagrama referente ao nome Carolina, uma desconhecida relacionada ao descritor do gênero, William E. Leach. William nunca explicou quem era a tal mulher, porém é fácil inferir que houve um grande afeto entre os dois.

Entre as várias espécies do gênero Cirolana, C. mercuryi homenageia Freddie Mercury, cantor e fundador da banda Queen que dedicou muitas de suas músicas ao amor. Apesar de ter sido descoberto em 1995, esta espécie foi descrita apenas em 2004, pelo pesquisador Niel L. Bruce. Fã do Rock, Niel resolveu homenagear um dos maiores astros da música, Freddie Mercury. O cantor nasceu em 1946 no arquipélago onde C. mercuryi é encontrada, na região de Zanzibar, Tanzânia.

Cirolana mercuryi faz parte do subfilo crustácea e da ordem dos isópodes, grupo no qual se incluem os famosos tatuzinhos-de-jardim. Isópodes Cirolana são pequenos crustáceos achatados e com placas fundidas no lugar de uma carapaça. Possuem abdômen curto, onde estão os pares de patas. Na cabeça, há um par de antenas, dois omatídeos (olhos compostos), e uma armadura bucal, composta por vários apêndices com funções diferentes. Muitos destes apêndices possuem nomes estranhos, como maxila, mandíbula, maxilípede, maxílula e apêndice mandibular.


Cirolana sp. Fonte: lifescience.com

Cirolana mercuryi é um pouco distinta das demais espécies neste gênero, pois apresenta a parte da frente da cabeça maior e suas antenas e antênulas são inseridas nos lados desta, não na frente. Outra característica marcante é que a espécie é translúcida e possui alguns cromatóforos (células pigmentadas da pele) amarronzados espalhados pelo corpo. Mas, o que realmente diferencia esta espécie de qualquer outra no planeta é o fato de as placas da cabeça e do meio do abdômen serem bem expandidas. 

A África Oriental, incluindo a costa do Quênia e da Tanzânia, apresenta uma estabilidade climática ótima que contribui para a diversidade de espécies em águas rasas. Além de Cirolana mercuryi, há 224 outras espécies descritas neste mesmo gênero em todo o mundo, sendo que seis ocorrem no Brasil:  

C. (Anopsilana) jonesi (Kensley, 1987) = Bahia.
C. (Anopsilana) browni (Van Name, 1936) = estuários de Pernambuco e Paraíba. 
C. minuta Hansen, 1890 = Amapá.  
C. palifrons Barnard, 1920 = da Bahia ao Espírito Santo. 
C. parva Hansen, 1890 = do Amapá ao Espírito Santo.
C. lemoscastroi Paiva & Souza-Filho, 2014 = Potiguar, Rio Grande do Norte, até o Espírito Santo.
 

Tanto C. mercuryi quanto as seis espécies brasileiras do mesmo grupo ainda não são consideradas ameaçadas de extinção. Entretanto, como muitas delas vivem em ambientes ameaçados, tais como recifes de corais e estuários, há grave um risco de ameaças pelo desenvolvimento urbano, atividades turísticas sem controle e o branqueamento de corais devido à mudança de temperatura dos oceanos. É importante cuidarmos destes ambientes e darmos atenção a estes organismos. 

Referências:
Bruce, N. L. 2004. Cirolana mercuryi sp. nov., a distinctive cirolanid isopod (Flabellifera) from the corals reefs of Zanzibar, East Africa. Crustaceana, 76 (9): 1071-1081.
Schotte, M. 2014. Cirolana mercuryi Bruce, 2004. In: Schotte, M.; Boyko, C.B; Bruce, N.L.; Poore, G.C.B.; Taiti, S. & Wilson, G.D.F. (Eds) World Marine, Freshwater and Terrestrial Isopod Crustaceans database. Disponível em: http://www.marinespecies.org/aphia.php?p=taxdetails&id=256546 on 2015-02-11.
Paiva, R. J.C.; Souza-Filho, J. F. 2014. A new species of Cirolana Leach, 1818 (Isopoda, Cymothoidea, Cirolanidae) from Brazilian coast. Nauplius, 22(2): 91-102.
van der Land, J. 2001. Isopoda - excluding Epicaridea. In: Costello, M.J. (Ed.) European register of marine species: a check-list of the marine species in Europe and a bibliography of guides to their identification. Collection Patrimoines Naturels, 50: 315-321. 

Autoria: Nayara de C. Chaves

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por enviar seu comentário!